Barra do Corda, Ma, Data Atual, Hora Atual









Aniversariantes do Mês

03Larissa Teixeira Borges
17Cesar Augusto Borges Ferreira
24Sarah Raquel Oliveira Chaves
26Samuel Egson M. Rodrigues
28Gabriela Brito de Morais
28Isabela Brito de Morais


Atletas representam o Piauí em jogos no Paraná

Autor: 45° graus
E-mail:
Enviado em: 06 de novembro de 2009

 As Olimpíadas Escolares 2009 serão realizadas até o dia 15 de novembro em Londrina

Nesta quinta-feira (5), às 14h40, atletas piauienses das modalidades judô, natação e handebol, seguirão para as Olimpíadas Escolares 2009 (15 – 17 anos), que acontecem no período de 5 a 15 de novembro, em Londrina e Maringá (PR).

No mesmo horário embarca a judoca Sarah Menezes, convidada para ser Embaixadora do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) nos jogos. Ela ficará em Maringá onde acontecerá a competição de judô e participará de atividades sócio-educativas promovidas pelo COB nas escolas.

Os demais integrantes da equipe do Piauí das modalidades basquetebol, tênis de mesa, voleibol e atletismo viajam apenas no dia 9 de novembro, quando acontece a segunda etapa das Olimpíadas Escolares 2009 no interior mineiro.

Este ano, a competição acontece em duas sedes, Maringá e em Londrina. Na primeira as disputas serão de atletismo, futsal, judô, vôlei e xadrez. Já em Londrina acontecem a natação, basquete, handebol e tênis de mesa

As Olimpíadas Escolas Participantes: 4.100 jovens entre 15 e 17 anos, representantes de 993 escolas de 26 estados brasileiros (inclusive o Distrito Federal). Do Piauí participarão cerca de 155 pessoas entre atletas, técnicos e dirigentes.




Cesar Cielo ensaia retorno às piscinas em campeonato regional de Santos

Autor: GLOBOESPORTE.COM
E-mail:
Enviado em: 06 de novembro de 2009

O retorno oficial de Cesar Cielo às competições está marcado apenas para o Campeonato Paulista de Natação, que será realizado de 13 a 15 de novembro. Mas o campeão olímpico e mundial resolveu testar sua forma no Torneio Regional de Juvenil e Sênior, em Santos, no último fim de semana.

 

Cielo, que até dezembro deste ano vai continuar treinando na piscina do Pinheiros, venceu a prova dos 100m livre com o tempo de 49s34, em sua primeira competição após o Mundial de Roma, realizado em julho. Fernando Silva e Bruno Fratrus terminaram em segundo e terceiro, respectivamente, com os tempos de 50s69 e 51s04.

Segundo sua assessoria de imprensa, o retorno oficial de Cielo será apenas no Campeonato Paulista. No Regional de Santos, o nadador brasileiro caiu na água apenas para fazer um "tiro" e testar suas condições físicas.

A principal competição de Cielo este ano será o Open de Natação, de 17 a 20 de dezembro, na piscina do Pinheiros, em São Paulo. No início de 2010, o campeão olímpico retomará os treinos em Auburn, nos Estados Unidos.




Joanna Maranhão vai a Moscou disputar 2ª etapa da Copa do Mundo

Autor: Jornal do Commercio
E-mail:
Enviado em: 06 de novembro de 2009

Depois de uma temporada envolvendo competições de alto nível, como o Campeonato Mundial disputado em Roma, na Itália, e o Troféu Brasil, em Palhoças-SC, a pernambucana Joanna Maranhão volta a cair na piscina, amanhã e sábado, agora pela segunda etapa da Copa do Mundo, em Moscou, na Rússia. Em piscina de 25 metros, atletas do mundo todo buscam bons resultados e premiações em dinheiro que cada evento distribui para os que chegam ao pódio.

Além de Joanna, que desde maio treina no Minas Tênis, outros quatro brasileiros foram convidados para esta competição – até o fim de novembro, outras três etapas serão realizadas em Estocolmo, Suécia (dias 10 e 11), em Berlin, Alemanha (14 e 15) e na Singapura (21 e 22). São eles os atletas da seleção nacional Fabíola Molina, Felipe Lima, Bruno Fratus e Henrique Rodrigues.

FENÔMENO MOLINA - A cada competição, pontos são distribuídos para o ranking que apontará, ao final do circuito, os melhores da Copa, que vão receber uma premiação especial. Entre os postulantes brasileiros ao prêmio máximo, Fabíola Molina é o maior destaque – mesmo aos 33 anos, idade considerada avançada para a natação. Na disputa passada, em Durban, África do Sul, ganhou um ouro e uma prata. A carioca Fabíola, atualmente, é considerada uma das maiores nadadoras do Brasil em atividade.

Joanna, por sua vez, está com vontade de fazer história no evento e, para isso, inscreveu-se em várias disputas: 200 m e 400 m livre, 200 m borboleta, 200 m costas, 200 m e 400 m medley – assim como Henrique Rodrigues, que além de todas as prova de medley (100 m, 200 m e 400 m) também está inscrito nos 50 m, 100 m e 200 m livre.

Vale ressaltar que a nadadora pernambucana é especialista nas disputas de medley e nos 200 m borboleta. No último Troféu Brasil, no entanto, foi ouro com direito a recorde da competição também nos 400 m livre.

No caso de Felipe Lima, ele estará nas provas do estilo peito (50 m, 100 m e 200 m) e o velocista Bruno Fratus compete nos 50 m borboleta, 50 m e 100 m livre.

Os atletas brasileiros participam das etapas da Copa do Mundo de Natação da Federação Internacional de Natação (Fina), com recursos provenientes dos Correios e da Lei Agnelo/Piva.




POLIANA OKIMOTO CHEGA AO BRASIL E FALA SOBRE A CONQUISTA DO CIRCUITO MUNDIAL DE MARATONAS AQUÁTICAS

Autor: Leonardo Delgado
E-mail: aquabarra@sapo.pt
Enviado em: 04 de novembro de 2009

Atleta do Speedo Elite Team fala sobre sua trajetória vencedora, a vitória no Mundial de Maratona Aquáticas e as conquistas que ainda estão por vir

UOL

Poliana venceu 9 das 12 etapas no ano, sendo que não disputou uma delas só porque foi ao Mundial

A nadadora do Speedo Elite Team, Poliana Okimoto, chegou ao Brasil para comemorar sua grande conquista, o troféu de campeã do mundo de maratonas aquáticas de 10 km, que faz parte do circuito Fina (Federação Internacional de Natação). A atleta desembarcou em São Paulo no início desta semana e comentou sua trajetória, a vitória no mundial e seus próximos objetivos.

“Ser campeã do mundo não tem preço e me esforcei muito pra chegar até aqui. Muito treino, muito suor, mas faria tudo novamente”.

“Fiquei muito feliz com a escolha do Rio e quero muito participar e defender as cores do Brasil dentro do nosso País”.

“Nunca havia nadado em mar e tinha muito medo. No primeiro treino, um dia antes da Travessia dos Fortes, saí chorando do mar, desacreditada, mas no dia seguinte, acabei me superando, vencendo e batendo o recorde da prova”.

Pergunta: Com quantos anos você começou a nadar?

Poliana Okimoto: Comecei com dois anos, eu e meu irmão, pois minha mãe tinha muito medo de que a gente ao nadar se afogasse e resolveu nos colocar numa escola de natação. Com sete anos comecei a competir, mas nessa época só havia provas de 50 metros e 100 metros e eu não me destacava, chegava sempre em último. Meu técnico percebeu minhas características e me disse que eu tinha resistência, logo, as provas de fundo seriam aquelas que eu poderia me dar melhor. Com 14 anos, foram iniciadas as provas de fundo e eu comecei a nadar melhor, ganhando campeonatos paulistas e brasileiros, e foi nessa idade que ganhei a minha primeira medalha do Troféu Brasil, sendo uma das nadadoras mais jovens a vencer esta competição. Alguns anos depois, venci campeonatos brasileiros na categoria absoluto, como o José Finkel, e Troféu Brasil. Bati recordes brasileiros e, em 2005, comecei a participar de maratona aquática.

Pergunta: Qual foi a primeira conquista nesta modalidade? Você já havia nadado em mar?

Poliana Okimoto: Não, nunca tinha nadado em mar e tinha muito medo. Me inscrevi na travessia dos Fortes no Rio de Janeiro, pois fora anunciado um mês antes que a maratona aquática estaria presente nos Jogos Panamericanos e nas Olimpíadas de Pequim pela primeira vez, e isso fez com que eu olhasse esta modalidade com outros olhos. Entretanto, um dia antes da travessia dos Fortes, fui tentar treinar e não consegui. Saí do mar chorando, achando que seria impossível participar, mas, por fim, no dia seguinte, decidi me testar neste desafio e acabei me superando, vencendo e batendo o recorde da prova.

Pergunta: E o que veio depois? Algum outro feito?

Poliana Okimoto: Em 2006, comecei a fazer o todo o circuito paulista e brasileiro e desta forma acabei conseguindo uma vaga para o mundial na seleção brasileira. Foi a minha primeira participação numa competição internacional de maratona aquática. Nesse campeonato fui vice-campeã mundial nas provas de 5 e 10 km. Depois disso, decidi que esta era de fato a minha modalidade e todo o meu foco seria para as maratonas.

Pergunta: E como foi a conquista do mundial, o que significou pra você?

Poliana Okimoto: Bom, foram doze etapas de 10 km, das quais eu participei de onze, venci nove e fiquei em segundo em outras duas. Acho que foi um resultado expressivo para o Brasil e estou muito orgulhosa e emocionada com este feito, pois fui a primeira mulher a ganhar um campeonato mundial e isso me deixou muito feliz. Ser a campeã do mundo é uma coisa que não tem preço, e me esforcei muito pra chegar até aqui, pois todas as viagens, todos os treinos foram muito desgastantes e cansativos, mas valeu muito a pena e, sem sombra de dúvida, faria tudo novamente.

Pergunta: O que esperar daqui pra frente?

Poliana Okimoto: Bom, agora vou descansar um pouco, afinal, ninguém é de ferro. Mas no próximo ano tem o Campeonato Mundial; em 2011 os Jogos Panamericanos e, em 2012, os Jogos Olímpicos de Londres.

Pergunta: E em relação aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro?

Poliana Okimoto: Fiquei muito feliz com a escolha do Rio e quero muito participar e defender as cores do Brasil no nosso País, mas sabemos que temos que dar um passo de cada vez e pensar no que está mais perto para não perder o foco do objetivo principal que, por hora, é Londres e, quem sabe, não conseguirmos uma medalha para o Brasil.

Assista também o depoimento da atleta: http://www.youtube.com/watch?v=T6nW59UcONI




4 mil alunos-atletas participarão das Olimpíadas Escolares Brasileiras

Autor: Leonardo Delgado
E-mail: aquabarra@sapo.pt
Enviado em: 04 de novembro de 2009

As Olimpíadas Escolares Brasileiras, que serão sediadas em Londrina e Maringá, começam na quinta feira (5), com solenidade de abertura a partir das 16 horas, no Ginásio Moringão. E nesta terça-feira (3), o diretor geral da competição e superintendente de Eventos do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Edgar Hubner, apresentou o evento em Londrina.

A cidade abrigará as modalidades de handebol, natação, tênis de mesa e basquete, e Maringá, o atletismo, judô, xadrez, vôlei e futsal. Ao todo, serão mais de 4 mil alunos-atletas, entre 15 e 17 anos, de 993 escolas de 26 estados mais o Distrito Federal. “Desde que as Olimpíadas Escolares surgiram, em 2005, este já é o maior evento. E a partir de 2006, o COB percebeu a importância de ter sedes além de Brasília, dando oportunidade para diversas cidades de abrigar o evento. Teremos aqui e em Maringá, a estrutura do COB, com dirigentes e árbitros gabaritados, esperando mais uma vez a revelação de talentos para representar o País em uma Olimpíada como a de 2016, no Rio de Janeiro”, comentou Hubner.

Em Londrina, além da Comissão Central Organizadora (CCO), instalada no Canadá Country Club e do refeitório, no Londrina Country Club, as modalidades serão disputadas nos ginásios do Moringão, Sest/Senat, Colégio Mãe de Deus e Londrina Country Club (basquete); Colégio Marista, Moringão, Colégio Londrinense e ginásio da Unopar (handebol); Country (natação) e Canadá (tênis de mesa).

O representante do COB lembrou ainda que as duas cidades-sede receberão também a visita de observadores internacionais da Ucrânia, Nigéria, Paraguai e Camarões, que levarão para seus países dicas de como organizar um evento envolvendo alunos entre 15 e 17 anos. “A competição tem um custo total de R$ 3,5 milhões, com praticamente R$ 2 milhões destinados para a hospedagem e alimentação”, disse Hubner.

Na entrevista coletiva também estiveram presentes o prefeito Barbosa Neto, o presidente da Fundação de Esportes (FEL), Paulo Roberto de Oliveira, e o jogador Léo, da equipe de handebol da Unopar, e a lutadora Natália Falavigna, bronze no taekwondo na Olimpíada de Pequim 2008. “As instituições de ensino, as universidades, os hospitais, as diversas secretarias municipais estão envolvidas no evento. Tentamos cumprir as exigências do COB e queremos realizar um grande evento”, disse o presidente da FEL.

Para Natália, as Olimpíadas Escolares podem significar o início de uma carreira brilhante no esporte. Durante a entrevista, Hubner adiantou que Léo e Natália estão concorrendo ao Prêmio Brasil Olímpico deste ano, organizado pelo COB.



FINA

Confederação Brasileira de Natação

Federação Maranhense de Desportos Aquáticos - FMDA

E-books de Ed. Física
E-books de Ed. Física

Swim It Up

Swimnews

Pro Swim

aquabarrabdc

Best Swimming

Not Nat

Orkut Aquabarra

Blog Paineiras

© Escola de Natação Aquabarra

Webmaster: Leonardo Delgado