echo " " ?>

Barra do Corda, Ma, Data Atual, Hora Atual









Aniversariantes do Mês

09Lavinha da Paz Menezes de Oliveira
09Mariana Mota da Silva dos Santos
15Mayana Sofia M. Rodrigues
17Maria Eduarda Paz Rodrigues
21Mayra Macdo dos Santos Maciel
23Luis Guilherme de Morais Costa
27Guilherme Jac Morais Bezerra


BORBOLETA ENTRADA DA MO

Autor: Glenn Mills (Traduo Leonardo Delgado)
E-mail: aquabarra@sapo.pt
Enviado em: 31 de janeiro de 2010

Como suas mãos entram em borboleta? Embora seja bastante comum a entrada com a varredura para fora, alguns nadadores preferem colocar as suas mãos em gancho, e outros só realizam a varredura, quando a mão entra na água.

Qual é a melhor forma?  Depende muito de como é realizado o seu trabalho de ombros, de quanta força você dispõe, e de sua velocidade de recuperação na ação dos braços no percurso de saída à entrada das mãos. Estas são apenas algumas das considerações que devem ser levadas em conta, com relação as diferentes tipos de entrada de mãos. Enquanto um tipo de entrada de mãos pode ser mais poderosa, o outro permitira um deslocamento anterior mais rápido e eficiente, através da melhor utilização de forças.

Aqui estão alguns exemplos de mudanças sutis do nadador com relação a entrada de mãos.

Mãos que entram primeiro pulso, ou os dedos para fora.

Mãos dedos entrando para baixo, na posição de captura.

Se você comparar as duas fotos, verá que apenas uma mudança sutil na colocação das mãos, pode causar um grande impacto, que influenciara da puxada até a finalização da braçada. Lembre-se, uma das metas em todas as técnicas é a de manter os cotovelos altos, e você tem que descobrir qual a melhor direção das mãos lhe permita realizar esse movimento.

As mãos continuam a seguir a linha para fora, para uma maior captura.

Os cotovelos permanecem elevados, e as mãos são direcionados para baixo em uma imediata tração para frente.

Enquanto o tipo padrão à esquerda parece ser boa, e a entrada a direita parece proporcionar queda, temos que levar em consideração que, enquanto a pegada a esquerda, pode proporcionar maior potência, a pegada a direita ocorre mais rapidamente e tem maior movimento propulsivo para frente.

Este padrão muito amplo, pegada forte irá fornecer a maioria dos atletas de todo a potencia que eles precisam para se destacarem.

Este padrão muito amplo, pegada forte irá fornecer a maioria dos atletas de todo a potencia que eles precisam para se destacarem.

Este conjunto mais reduzido até pode perder energia durante a atração, no entanto é mais rápido e pode permitir a rotação mais rápida.

É aqui onde as questões realmente começam. Enquanto a puxada a esquerda (a abordagem mais padrão) fornecer a sensação de maior potencia, e provavelmente irá produzir mais energia após a metade da puxada, a entrada do lado direito, ao perder trabalho, permite maior velocidade, e limita o gasto de energia durante a puxada.

E o agarre: de que maneira funciona melhor para você ou seu atleta? Quanto mais lento, mais largo e maior é o trabalho do agarre, colocando a área produtiva de tração um pouco mais para trás. O agarre, estreito e rápido permite um movimento direto para frente, quase que imediatamente após as mãos entram na água. As chances são de 9 em cada 10 vezes, você vai optar pela entrada e pegada à esquerda.  Pode ser que um nadador necessite de uma entrada mais estreita, no entanto, para esse caso deve-se focar em realizar a puxada o mais rápido possível, e que poderia vir a ser uma boa jogada.

O texto original em inglês pode ser encontrado em: http://www.goswim.tv/entries/5508/butterfly---hand-entry.html




TCNICOS PLANEJAM O FUTURO

Autor: Eliana Alves / Souza Santos
E-mail:
Enviado em: 27 de janeiro de 2010

Nesta terça-feira, 26/01, a natação brasileira deu a largada para a concretização dos projetos rumos aos Jogos Olímpicos de 2012 e 2016. Técnicos de todo o país se reuniram com o Conselho Técnico Nacional e com a diretoria da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos para analisar o projeto enviado ao Comitê Olímpico Brasileiro visando o desenvolvimento da modalidade nos dois próximos ciclos olímpicos.

Na abertura do evento que vai até quinta-feira, 28/01, o presidente da CBDA, Coaracy Nunes Filhos, e os dirigentes do departamento técnico do Comitê Olímpico Brasileiro, Roberto Perilier e Jorge Ajuz destacaram o sucesso da natação brasileira e o esforço conjunto para que ele cresça.

O presidente da CBDA elogiou a participação positiva de todos os técnicos, o número de sugestões apresentadas antes mesmo da realização do encontro e a união em prol do desenvolvimento do esporte.

O professor Ricardo de Moura, superintendente técnico de natação da CBDA, conduziu a apresentação aos profissionais, e já mostrou algumas novidades que farão parte da nova rotina dos preparadores brasileiros, como por exemplo, um site exclusivamente técnico que já está no ar e será lançado oficialmente pelo presidente Coaracy Nunes – www.cbda-pbn.org.br - onde todos os treinadores do país poderão incluir os dados de seus atletas e interagir com o departamento técnico da CBDA.

- Ao se cadastrar de forma gratuita em nosso sistema, entre outras coisas, os técnicos poderão incluir simples informações de alguns dados de seus nadadores e será feita uma comparação da situação de seus atletas com o perfil dos campeões da modalidade no Brasil nos últimos 10 anos– explicou Ricardo.

Também foi mostrado um calendário que já contempla as novas gerações com competições internacionais fortes e um mapa com o potencial olímpico da natação no país.

- Para conhecer os atletas brasileiros que poderão subir ao pódio nas próximas edições de Jogos Olímpicos estudamos a relação entre faixa etária e posições no ranking mundial de ciclos olímpicos passados, a relação entre a população ativa e número de atletas federados de vários países, as nossas características regionais, enfim, é um estudo profundo que detecta nossos pontos fortes e onde precisamos de reforço. Estamos realmente dando a largada em algo que nunca foi feito com a natação em nosso país – disse Ricardo.

Atendimento à imprensa - Nesta quarta-feira, 27/01, a partir das 19 horas, os treinadores participantes estarão à disposição da imprensa no local do evento. O encontro, que é fechado aos jornalistas, tem o objetivo de discutir o Programa Brasil de Natação, como os critérios de convocação das seleções, regulamentos dos campeonatos nacionais e a programação para os dois próximos Jogos Olímpicos.

A Reunião do Conselho Técnico Nacional de Natação está sendo realizada no South American Hotel, no posto 6, na rua Francisco Sá, 90, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Alguns dos participantes:

Diretoria Técnica de Natação CBDA:

Prof. Ricardo de Moura –Superintendente Técnico ,

Prof. Rômulo Noronha – Coordenador Técnico – Rio de Janeiro (RJ)

Comissão Técnica Permanente de Natação:

Prof. Alberto Silva – Pinheiros/SP

Prof. Arilson Silva – Pinheiros/SP

Prof. Fernando Vanzella – Minas Tênis/MG

Prof. Marcio Latuf – Unisanta/SP

Prof. Luiz Raphael – Fluminense/RJ




Em dois meses, Frederico Castro troca de estado, supera Phelps e ganha fama

Autor: Lydia Gismondi (GLOBOESPORTE.COM)
E-mail:
Enviado em: 28 de novembro de 2009

Aps passar dificuldades, maranhense colhe os frutos da mudana para SP

Frederico Castro, de apenas 20 anos, j uma das estrelas do esporte no Maranho

H menos de trs meses, Frederico Castro nadava em uma piscina curta (25 metros) e sem raia, sofria com a falta de apoio e ainda participava de competies sem infraestrutura mnima, como energia eltrica. Mas, desde que resolveu trocar So Luiz (Maranho) por So Paulo, o nadador de 20 anos vive um momento prspero. Prova disso que em sua segunda participao internacional em Copa do Mundo, na etapa de Berlim, no incio deste ms, conquistou a medalha de prata nos 200m borboleta, deixando para trs a estrela americana Michael Phelps.

As boas perspectivas dentro dgua contrastam, entretanto, com a vida fora dela. Assim como muitos atletas do Norte e Nordeste do pas, Frederico sofre com o choque cultural e lamenta no ter a possibilidade de encontrar em sua cidade natal a estrutura necessria para alavancar a carreira esportiva.

Confira a galeria de fotos da carreira de Frederico Castro!

GLOBOESPORTE.COM: Quando comeou a nadar e como foi sua trajetria at aqui? Frederico Castro: Comecei a nadar com oito anos, por recomendao mdica, porque eu tinha dificuldades respiratrias. Mas eu no levava muito a srio, a natao era mais uma brincadeira. At que um tcnico cubano, Pedro Herrera, viu que eu tinha talento e me incentivou a treinar mais. Com 13 anos, fui para o Maranho Atltico Clube e passei a levar mais a srio. Depois, com a ajuda do meu tcnico Alexandre Nina, fui conquistando bons resultados como o bronze no Mundial Jnior (em 2006, no Rio). Em 2008, passei trs meses treinando nos Estados Unidos, na Virgnia, e bati recorde da competio (LC Senior Championships) nos 100m borboleta. No incio desse ano, passei mais um quatro meses treinando nos Estados Unidos, desta vez na Flrida. No Maria Lenk, cheguei a conseguir o ndice para o Mundial de Roma nos 50m e 100m borboleta, mas como s poderiam ir dois representantes em cada prova, acabei ficando fora. Em setembro, me mudei para So Paulo e comecei a treinar no Pinheiros.

Berlim foi apena a segunda etapa internacional da Copa do Mundo que voc participou. Imaginava que j garantiria a prata e ainda deixaria Michael Phelps para trs?


Quando eu vim para o Pinheiros, comecei um treinamento visando o Open (em dezembro, em SP). A surgiu essa oportunidade. O Pinheiros decidiu pagar para levar 22 atletas, acabei indo. Pelo critrio da CBDA (Confederao Brasileira de Desportos Aquticos) no poderia ir. Quando fui para a final, tava confiante. Sabia que ele (Phelps) no estava 100%, mas eu tambm no estava. E ele o cara, n? Essa a principal prova dele, nunca imaginei chegar na frente. Eu fui pensando em vencer, ganhar dele seria uma consequncia. A minha primeira reao depois da prova foi a de raiva porque errei a virada e perdi o ouro. Fiquei irritado, queria ganhar. Mas depois, quando olhei o meu nome em segundo e o dele em quinto, fiquei feliz. No s por ele, mas por ter chegado na frente de vrios nadadores olmpicos experientes.

Acredita que esse seu resultado expressivo j seja um reflexo da mudana de cidade? So 12 anos de treinamento. Eu j vivi experincia de que eu treinava muito e no vinha resultado. Agora, em pouco tempo aqui, est dando muito resultado. No Nordeste, bem mais difcil. Eu conseguia resultados l, mas ningum dava a mnima. Os empresrios nem tm conhecimento da Lei de Incentivo. bem mais difcil. Aqui diferente. Fica tudo mais fcil. Eu s vim treinar aqui porque a estrutura melhor e tem mais nadadores de alto nvel. L faltava at luz na competio. Uma vez, no Campeonato Norte Nordeste, uma etapa no pode ser realizada porque no tinha luz.


O maranhense comeou a nadar aos oito anos

Que tipo de dificuldades voc teve no incio da carreira? Chegou a passar por problemas financeiros?
Dificuldades financeiras eu no passei porque meus pais so de classe mdia e puderam investir. Eu tive sorte de ter nascido numa famlia assim. Se eu no tivesse condies de viajar, sair do Maranho, estaria estagnado. Imagina quantos atletas o Maranho j perdeu por isso? Morar no Maranho, com minha famlia, sem trnsito, seria melhor. Mas, enquanto l no me der uma estrutura com piscina adequada, apoio financeiro, auxlio mdico, no vou voltar. L no Maranho, a piscina que eu treinava (de 25m) no tinha nem raia, estava quebrada. Ela ficava cheia de marola e isso muito ruim, principalmente no borboleta. Estava me atrapalhando. O Pinheiros tem tudo perfeito.

Mas voc parece dividido. Ainda no conseguiu se adaptar a So Paulo?
Eu sou bem tranquilo, caseiro, mas So Paulo muito agitado. Desde quinta o pessoal comea a sair, a maior agitao. O trnsito tambm horrvel. Quando vou ao treino, s vezes pego 30 minutos de trnsito em um caminho que seria 20 minutos andando. E todo mundo passa do seu lado e ningum nem te olha. Cada um est preocupado com o seu. No Maranho, as pessoas se cumprimentam, do boa tarde, bom dia. Aqui eu sou apenas mais um. Mas justamente isso que me d vontade de trabalhar mais.

Quais so suas prximas metas? O que espera do duelo com Kaio Mrcio no Open, em dezembro?
Desde que vim para o Pinheiros, estou treinando para o Open. Nadar bem l o meu objetivo e, depois, vou para o Maranho. Tenho muito orgulho de competir com o Kaio Mrcio. O cara o quarto nadador do mundo na piscina longa e recordista mundial na pequena (200m borboleta). uma responsabilidade muito grande competir com ele. Eu estou a uns trs segundos atrs do tempo do Kaio, mas ningum sabe o que pode acontecer.




Aquabarra Vice-campe do Piauiense de Natao 2009

Autor: Leonardo Delgado
E-mail: aquabarra@sapo.pt
Enviado em: 23 de novembro de 2009

O Sesc Ilhotas foi a sede, do Campeonato Piauiense de Natao 2009 a competio foi disputada, em trs etapas de sexta a domingo, teve como objetivo finalizar as atividades da Federao Piauiense de Natao etapa 2009. O resultado final foi o seguinte:

1 CIRCULO MILITAR DE TERESINA 1088,50
2 AQUABARRA 831,00
3 ASSOCIO ATLTICA BANCO DO BRASIL 727,00
4 ELDORADO SPORT ACADEMIA 308,00
5 UNIAO DOS SER MUNICIPAIS TERESINA 277,50
6 RANKING SPORT ACADEMIA 230,00
7 NIKITA SESI PE 84,00
8 SOCIEDADE ESPORTIVA TIRANDETES 62,00
9 SESC 55,00

Os nadadores que mais se destacaram foram: na categoria Mirim I Feminino, a nadadora Wglanna Keller, da Aquabarra, com 8 medalhas de ouro e dois recordes, 50m Peito e 50m Livre e melhor ndice tcnico na prova de 50m Livre com 370 pontos. No Mirim I masculino o grande campeou foi Hartamos Vinicius, do Circulo Militar de Teresina com 4 medalhas de ouro e duas de prata, sendo o melhor ndice tcnica, com a prova de 50m Livre com 248 pontos, o atleta mais eficiente foi Pedro Rodrigues do Eldorado/PI, com 2 medalhas de ouro e 4 de prata.

Na categoria Mirim II Feminino, Larissa Borges da Aquabarra, foi a grande campe com 8 medalhas de ouro e melhor ndice tcnico com a prova de 50m Peito, com 328 pontos. No Masculino o melhor ndice tcnico ficou com Danilo Arajo da Ranking/PI, na prova de 50m Livre com 224 pontos e o atleta Carlos Nascimento da AABB/PI, foi o atletas mais eficiente com 3 medalhas de ouro.

No Petiz I Feminino a grande revelao foi a atleta Thayanne Visgueira, da AABB/PI com 6 medalhas de ouro e melhor ndice tcnico na prova de 50m Livre, com 519 pontos, a atleta mais eficiente foi a Camila Macedo, do Circulo Militar, com 5 medalhas de prata. No Masculino indiscutivelmente o melhor atleta foi Vinicius Gabriel com 6 medalhas de ouro, recorde e melhor ndice tcnico na prova de 50m Livre com 534 pontos e o tempo de 002869, o atleta mais eficiente foi Saulo Santos, tambm do circulo militar, com 1 medalhas de ouro e 3 de prata.

No Petiz II Feminino, destaque para Cristini Marins do Circulo Militar, com 6 medalhas de ouro e melhor ndice tcnico na prova de 100m livre, com 569 pontos. No Petiz II Masculino, a competio foi muito acirrada entre os atletas Luis Mateus, do Circulo Militar e Deurivan Junior, da Aquabarra, ficando o atleta Luis Mateus como melhor ndice tcnico na prova de 50m Livre com 480 pontos, 3 medalhas de ouro e 3 de prata e recorde da prova de 50m costas e Deurivan Junior como, o mais eficiente com 4 medalhas de ouro e 2 de prata, mais o recorde da prova de 50m Peito.

No Infantil I Feminino Sthelen Andrade, Circulo Militar, foi melhor ndice tcnico na prova de 100m Livre com 577 pontos e Estefane Sousa, Aquabarra, foi a atleta mais eficiente com 4 medalhas de ouro, 1 de prata e 1 de bronze. No masculino o melhor ndice tcnico foi do atletas Cassio Anderson, do Circulo Militar, com 410 pontos na prova de 50m livre, e atletas mais eficiente Natan Alves, da Aquabarra com 2 medalhas de ouro, 1 de prata e 1 de bronze.

No Infantil II Feminino o melhor ndice tcnico foi da atleta ngela Frana da Aquabarra, com 584 pontos na prova de 50m Livre, e a atleta mais eficiente Magda Brando, com 1 medalha de ouro, 3 de prata e 2 de bronze. O Melhor ndice Tcnico foi do atleta Denilson Ferreira do Circulo Militar, na prova dos 50m Livre, com 578 pontos, o atletas mais eficiente foi Dorival Junior da Aquabarra, com 5 medalhas de ouro e 1 de bronze.


No Juvenil Feminino, Moema Sales da AABB/PI, com melhor ndice tcnico, na prova de 100m Livre, com 712 pontos, a atleta mais eficiente Bruna Emanuelle, Eldorado/PI. No masculino o atleta Lauro Wilson Cabral Filho, bateu nada mais nada menos que 6 recordes, e o melhor ndice tcnico da categoria, na prova de 100m livre, com 836 pontos.




Obstculos

Autor: Leonardo Delgado
E-mail: aquabarra@sapo.pt
Enviado em: 17 de novembro de 2009



FINA

Confederao Brasileira de Natação

Federação Maranhense de Desportos Aquáticos - FMDA

E-books de Ed. Física
E-books de Ed. Física

Swim It Up

Swimnews

Pro Swim

aquabarrabdc

Best Swimming

Not Nat

Orkut Aquabarra

Blog Paineiras

Escola de Natação Aquabarra

Webmaster: Leonardo Delgado